domingo, 18 de outubro de 2009

Guimarheinz?

Acabo de ouvir dizer aqui no café que alguém terá dito algures que há tempos outro alguém terá sugerido que, por causa da Capital Europeia da Cultura, Guimarães deveria mudar o seu nome para outro mais fácil de pronunciar pelos bárbaros da Europa. Fiquei pasmado, atónito e boquiaberto. Confesso que quase me exaltei e que, praticamente, me enfureci perante a simples menção de propósito assim sacrílego. Mas, depois, empurrado pela minha natureza hesitante e maleável, pus-me a pensar. Porque não? Se, para se internacionalizar, o Durão deixou de ser Durão, Guimarães, que vai ser a capital da Europa, também podia reciclar o seu nome por causa da dificuldade de certas gentes em dobrarem a língua. Mas, por mais voltas que dê ao miolo, não consigo descobrir qual poderia ser o novo nome para Guimarães. E se se abrisse um concurso de ideias?

6 comentários:

  1. A realidade é que efectivamente a pronúncia do nome da nossa terra é efectivamente difícil.
    Recordo-me, no ano passado, quando cá veio o Portsmouth, o seu treinador pronunciou "Guimarães", assim.

    GUMIÉREZ .

    Podia fazer-se um apanhado das pronúncias da nossa cidade, assim tipo apanhados
    Sempre nos ríamos um bocadito

    ResponderExcluir
  2. Só ao reler o comentário é que me apercebi que efectivamente usei um bocado demais a palavra efectivamente

    Mas não reparem porque estas coisas acontecem

    ResponderExcluir
  3. efectivamente, efectivou.

    ResponderExcluir
  4. Guimarães é um nome germânico e por isso não deve ser tão difícil de pronunciar, com algumas alterações. Proponho WEIMAR(Vímara=Guimar)+es.

    Assim podem pôr no logotipo o 'tio' Vímara a matar mouros e por baixo do escudo WEIMARES.

    ResponderExcluir
  5. Este post é nada menos que um disparate

    ResponderExcluir
  6. Por que não Liverpool?

    ResponderExcluir

Avisam-se todos os nossos clientes que a tabuleta onde se lê RESERVADO O DIREITO DE ADMISSÃO tem uma função meramente decorativa. Neste café pratica-se a liberdade de expressão, absoluta até certo ponto. Qual ponto? É o que falta saber.